Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Segurança do trabalho: dicas de segurança para eletricistas

Dados da Agência Brasil mostram que, em 2018, aconteceram 1424 acidentes com origem elétrica em todo o país. Esse número representou um aumento de 2,67% em relação a 2017 e um aumento de 37,2% em relação a 2013. Esses números são chocantes, não são? Olhando os dados, fica fácil entender por que falar de segurança do trabalho em projetos elétricos é tão essencial.

O primeiro fator que influencia fortemente na segurança do trabalho é a consciência do profissional, afinal, atitudes descuidadas podem tomar proporções incalculáveis para sua saúde, chegando a ser fatais. Então, confira alguns pontos para garantir a sua segurança no trabalho.

Segurança do Trabalho: Dicas de Segurança para Eletricistas

Siga os parâmetros da NR10

A Norma Regulamentadora 10, conhecida como NR10 possui recomendações específicas para o eletricista e a sua atuação no dia a dia profissional. Antes de mais nada, ela orienta que o responsável por essa função possua toda a documentação que comprove a sua formação e habilitação para atuar dessa forma.

A NR10 também recomenda que o profissional eletricista faça uma análise antes de iniciar o seu trabalho, indicando, no local em questão, possíveis riscos para sua saúde e segurança. Atrelado a isso, ele fica responsável também por usar os equipamentos de segurança corretos para cada serviço que for fazer.

Use os EPI’s de acordo com a recomendação

Muitas vezes negligenciado, o Equipamento de Proteção Individual foi criado e testado para evitar acidentes, dos mais leves aos mais graves. Portanto, o eletricista responsável precisa ter à sua disposição capacetes, óculos, protetores auriculares, luvas, roupas e calçados próprios.

Nem sempre será necessário usar todos esses equipamentos ao mesmo tempo, mas é importante identificar quais deles são necessários e não deixar esse detalhe de lado. Para instalar uma cerca elétrica, por exemplo, é necessária a utilização de praticamente todos esses EPI’s. Já para fazer uma manutenção simples na fiação, óculos e calçados são suficientes.

Troque EPI’s danificados

Um EPI não dura a vida inteira e é natural que ele se desgaste com o tempo de uso. Mas mantê-los com defeitos, mesmo que quase imperceptíveis, pode ser perigoso. Por isso, o ideal é não esperar que aquele furo na luva aumente, ou que o capacete se parta ao meio para entender que é hora de trocar.

Use as ferramentas certas, não improvise

Para trabalhos elétricos, qualquer mera improvisação pode ser fatal, e esse não é o momento de arriscar. Para instalar cercas elétricas ou luzes no teto, por exemplo, as escadas precisam ser de madeira ou fibra e nunca de metal, já que esse material é condutor de eletricidade.

É importante também conferir se a escada está firme e, antes disso, se todas as fontes de eletricidade foram desligadas para qualquer conserto. Ações assim farão toda a diferença.

Use os componentes elétricos adequados

Assim, como na escolha dos EPIs, os componentes elétricos devem ser pensados conforme a aplicação e o ambiente em que estarão expostos. Desde os disjuntores até as tomadas e plugues da sua instalação deve passar por uma análise minuciosa pensando em extinguir todos os riscos que possam trazer para você e para aqueles que estarão próximos a ela.

A Famatel oferece tomadas e plugues industriais projetados conforme as normas de segurança mundiais, fabricados em ABS os nossos componentes são livres de halogênio, e ainda oferecem índicie de proteção contra impacto e grau de proteção IP44 e IP67.

Tomada Industrial 23200

Prevenir e evitar é o ideal

Usar todos os equipamentos de proteção individual, assim como as ferramentas corretas é fundamental, porém melhor ainda é prevenir e garantir que antes mesmo de elaborar o projeto elétrico, a empresa responsável faça um treinamento minucioso com seus eletricistas (ou, no caso de profissionais independentes, que ele busque esse treinamento por si mesmo); que também use no projeto elétrico disjuntores específicos para casos de cargas elétricas inesperadas; que sinalize todas as instalações elétricas para alertar quanto ao perigo existente no local; que instale barreiras, obstáculos e invólucros para dificultar o acesso às fontes de energização; a possível utilização de alertas sonoros também é interessante para deixar o profissional alerta logo que ele liga algum equipamento específico.

Vale lembrar que você, eletricista, é a sua principal ferramenta de trabalho. Portanto, cuide-se!

Gostou desse artigo? Deixe seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE ESTE ARTIGO

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin